A partilha do sensivel ✄ —————-

Partilha significa duas coisas: a participação em um conjunto comum e, inversamente, a separação, a distribuição em quinhões. Uma partilha do sensível fixa portanto, ao mesmo tempo, um comum partilhado e partes exclusivas.

Pensar atos estéticos como configurações da experiência, que ensejam novos modos de sentir e induzem novas formas de subjetividade política.(…)

Teorias e Experiências Vanguardistas de fusão da arte com a vida > Nicolas Bourriaud e a estética relacional; Lozano-Hemmer e a arquitetura relacional
Generalização do espetáculo ou a morte da imagem – Desilusão
Transformação do pensamento vanguardista em pensamento nostálgico.
Lyotard indicando a estética como campo privilegiado dos embates contemporâneos – “a obra de arte se constitui como resistência face ao discurso que a pretende significar; mais ainda, como um desmentido face à própria relação de interpretação” (Jean-François Lyotard, Discours, Figure, Éditions Klincksieck, Paris, 1971, p10)
– Arte como testemunho do encontro com o irrepresentável que desconcerta todo o pensamento.
– Análise Kantiana do sublime. O belo.
(…)

TXT PEDRO REGO

Isso que costumamos chamar de a Estética de Kant – 1790 – Crítica da faculdade do juízo – comumente designada como a terceira Crítica.
reinvindicar o direito de transcender as fronteiras da agradabilidade privada, de um subjetivismo incomunicável #critica_faculdade_juizo

Urteilskraft – teil é parte – partilha do sensível e a estética kantiana

O poder de julgar (Urteilskraft) – na terceira critica, Kant define a faculdade do juízo nos seguintes termos: ela é a faculdade de pensar um particular como contido sob um universal.
Se alguma universalidade possui a beleza ela precisa ser descoberta justamente neste princípio sob o qual subsumimos judicativamente algo que se nos oferece no mundo.
KANT: fundamento de determinação da avaliação estética pertencente a isso mesmo que todos os sujeitos necessariamente tem em comum.
Sobre gosto se discute somente porque acerca dele se reivindica universalidade.
A tese essencial de Kant: existe um fundamento para a possibilidade de uma universalidade estética não objetiva (não demosntrável).
Teil – parte – Ur teil – parte original – fundamento – traduzido por julgamento
Auf teil – Partage – Partilha

About paoleb

muita cousa
This entry was posted in Aesthetics and tagged , . Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s