Jamais fomos modernos – fichamento

as redes são ao mesmo tempo reais como a natureza, narradas como o discurso, coletivas como a sociedade

“As etnociencias podem associar-se em parte à sociedade e ao discurso, mas a ciência nao pode. E justamente porque somos incapazes de nos estudar desta forma que somos tão sutis e tão distantes quando vamos estudar os outros sob os trópicos. A tripartição crítica nos protege e nos autoriza a restabelecer a continuidade entre todos os pré-modernos. Foi solidamente apoiados nesta tripartição crítica que nos tornamos capazes de fazer etnografia. Foi aí que buscamos nossa coragem.”

Seria necessaria uma outra democracia? Uma democracia estendida às coisas?

Ser moderno é produzir a fissura – a fenda deleuziana – corte epistemologico sujeito/objeto

Aos seres possuidores de linguagem opoem-se as coisas mudas, que povoam unversos paralelos e inacessiveis. #Latour

About paoleb

muita cousa
This entry was posted in a vida secreta dos objetos, Work in progress and tagged , , . Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s