circular

notas cap VI – circular – Flusser, Vilém – O universo das imagens técnicas : elogio da superficialidade. São Paulo : Anablume, 2008

as imagens técnicas não são espelhos mas projetores
– espelho < speculum < spec taculo spec tral spec ular

sociedade informática
sociologia clássica – homem como ponto de partida
para a sociologia clássica os objetos culturais – mesas, casas, carros são explicáveis em função dos homens que os produzem e que os consomem
a sociologia futura explica os homens em função dos objetos culturais que os programam – sociologia orientada pelos objetos – dái que gimena o chama de materialista mas não é o que parece – na sociedade sócio técnica – ao invés de pensar que em lugar de sujeito é objeto pensar em termos de relação – como flusser diz: de feed back e retroalimentação – daí o passo para a fenomenologia- não as coisas, mas os fenômenos

em alguns pontos a visão de flusser é sombria – talvez por conta de sua própria condição de judeu exilado… impossível ver com otimismo a aldeia cósmica de macluhan, no entanto ainda que haja o aspecto orwelliano da sociedade informática há também a possibilidade de as redes ultrapassarem o sistema – revoluções via FB e twitter – ultrapassando o programa de zuckerberg p. ex.

por isto o próprio flusser deixa a solidão acachapante do nihilismo dos aparelhos para outro cap.

voltando ao feed back: a circularidade de imagens que alimentam homens para serem por eles realimentadas e para engordarem.
– o trânsito homem-imagem inverte o estar-no-mundo como conhecemos

obs: o telefone também é um aparelho🙂
de meta-jogo em meta-jogo, em regressão infinita.

história como espetaculo:
evento como programa;
(diferente do happening pré-histórico)

videogramas de uma revolução – cruzamentos farocki – flusser

emergimos da história para o espetáculo, da linearidade para a superficialidade espectral e circular;
(isto parece um retorno a pré-história… jamais fomos modernos?)

agimos como sonâmbulos ou fantoches – esquecimento… cegueira… certo pessimismo…

res gestae > res extensa > res cogita
aparelhos: câmeras + marketing + opinião pública

embate entre entusiasmo e entropia: dois lados de uma mesma moeda?

About paoleb

muita cousa
This entry was posted in Historia da Arte Moderna e Contemporânea and tagged , , . Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s