A vida secreta dos objetos

Em sua conferência, o Professor Bruno Latour nos apresentou a ideia, já conhecida, de que o modelo cartesiano de conhecimento do mundo, que opera com a oposição entre res extensa e res cogita, poderia encontrar suas origens na perspectiva central renascentista. A cenografia aparece assim como modelo para um “teatro do pensamento”, com a instauração de uma cena, que coloca um sujeito imóvel e monocular em um ponto de vista ideal diante de um objeto estático e estável. O problema deste modelo consistiria principalmente em ignorar a temporalidade e a instabilidade constitutivas de todas as instâncias envolvidas, assim como o esquecimento de que trata-se de um modelo de conhecimento, e não das coisas mesmas (a perspectiva como forma simbólica de Panofsky). A figura do “stage manager” que posiciona o objeto diante do sujeito, representada no esquema do Prof. Latour como Le Corbusier, foi um ponto de discussão. “Seria o dispositivo?” sugeriu o Prof. Mauricio Lissovsky. “O esquema é ótimo, o problema é que o stage manager seja uma figura humana” comentou o Prof. Zielinsky. Se no entanto, o Professor Latour apresentou a arte como possível origem do paradigma moderno, ele pareceu não enxergar na arte um possível lugar de quebra deste mesmo paradigma. Diante de sua observação sobre a falta de um vocabulário ou uma gramática para pensar e estar no mundo de uma outra forma, que pudesse dar conta da transitoriedade dos estados, seja do “sujeito”, seja do “objeto”, alguns dos presentes levantaram questões. E as imagens navegáveis dos games? E a imagem-tempo deleuziana? E o teatro épico de Brecht? Se pensamos o teatro como modelo da modernidade, não poderia este oferecer também possibilidades para uma nova gramática e um novo vocabulário contemporâneos?

O Professor Latour encerrou sua conferência afirmando que a discussão continuaria em Salvador. Como, infelizmente, não vou a Bahia, aproveitei o segundo dia da conferência para fazer estas perguntas ao Professor Zielinsky, e acabei recebendo uma orientação-relâmpago genial que comento no próximo post.

About paoleb

muita cousa
This entry was posted in a vida secreta dos objetos, Aesthetics, Filosofia da Ciência, Work in progress and tagged , , . Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s