CinePlanta

CinePlanta é um projeto de Live Cinema que associa uma Dracaena Fragrans a uma interface de edição de imagens em tempo real, criando um sistema híbrido.
Formado por uma rede, que integra a planta a circuitos elétricos, eletrônicos e digitais, este hiperorganismo consiste em um sistema de captação e projeção audiovisual que se retroalimenta com o sistema vivo do vegetal. É um experimento que retoma as pesquisas pioneiras de Cleve Backster com Dracaenas recolocando a questão dos limites taxionômicos, ou mesmo entre vivos e não vivos. 

This slideshow requires JavaScript.


Dracaena, do grego antigo Drakaina, quer dizer “Fêmea de dragão”. É uma planta conhecida desde a antiguidade por suas propriedades medicinais, sendo também utilizada em rituais em localidades da África tropical e das Américas ainda hoje. Algumas espécies, quando envelhecem, produzem uma seiva vermelha conhecida como “Sangue de Dragão”, ao qual se atribui qualidades mágicas. Esta “memória” de redes míticas ativadas pela Dracaena é gravada em um banco de imagens, reprocessado pela planta e recombinado com novas imagens captadas em tempo real. O tom vermelho das projeções geradas pelo sistema é também uma forma de incorporar este imaginário ao circuito.
As folhas da planta são ligadas por meio de eletrodos a um medidor de resposta galvânica customizado – plantronic – que envia sinais para uma placa arduíno, plugada a um PC. Uma câmera instalada no vaso com a planta está conectada à rede, captando imagens que são armazenadas para mixagens futuras, atualizando assim a “memória” do sistema.
As imagens processadas são visualizadas por meio de uma projeção mapeada sobre as folhas da planta – planta_pantalla. As variações orgânicas produzidas pela planta na sua interação com a luz da projeção e com o ambiente se convertem em novos dados na rede, afetando diretamente na edição do banco: cortes, velocidade, texturas, edição – Veejaytable.
Os clipes de vídeo gerados são como células que compõem o banco de imagens reprocessado a partir da sensibilidade do vegetal à projeção em suas folhas, em um eterno feedback biomaquínico. Este processo de foto-síntese retoma conceitos da montagem dialética de Sergei Eisenstein e do kinoglass de Dziga Vertov.
O trabalho é apresentado como um OpenLab, e se desdobra entre a montagem do organismo, a programação do circuito, a projeção de imagens sobre as folhas da planta e a interação com o público. Um monitor ligado ao PC que roda o sistema exibe a interface com as janelas do programa, de forma que todo o processo seja exposto junto do experimento.
Neste contexto pretendemos discutir os limites entre inteligências, sensibilidades e estéticas humanas e não-humanas, problematizando as fronteiras entre natureza, cultura, arte e ciência.
CinePlanta está sendo desenvolvido no contexto do projeto de pesquisa Hibridações Experimentais em Arte e Tecnologia, desenvolvido no âmbito do Núcleo laboratorial NANO- EBA/UFRJ.

About paoleb

muita cousa
This entry was posted in Aesthetics and tagged , , , , , . Bookmark the permalink.

2 Responses to CinePlanta

  1. paoleb says:

    comportamento do sistema:
    o sistema é vivo e seu comportamento se altera

  2. Pingback: Jardinagem eletrônica | Blog Bebê Básico

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s