Cine-Fantasma: assombrações dos cinemas de rua

Cine-Fantasma: assombrações dos cinemas de rua
Projeções itinerantes ao ar livre

Cine Fantasma é uma série de videointervenções urbanas que ocupa espaços públicos ao ar livre, e acontece em locais que já abrigaram, um dia, salas de cinema.

Entre 20h e 24h, um carro equipado com projetor percorre um trajeto previamente mapeado, detendo-se por períodos de no máximo meia hora nos pontos onde acontecem as (assombr)ações. Mixando imagens de arquivo com trechos de filmes e imagens captadas ao vivo no local das ações, as projeções em grande formato evaporam-se pelas paredes externas dos edifícios, ativando a memória da cidade e cruzando imaginários urbanos. Performers caracterizados como fantasmas interpelam os passantes com perguntas e respostas sobre o desaparecimento dos cinemas de rua e as implicadas mudanças em espaços comuns nos bairros.

O desaparecimento das salas de cinema de rua é um fenômeno observado nas últimas décadas em diversas cidades do Brasil e do mundo. No Rio de Janeiro, bairros como a Tijuca e o Méier, que construíram parte de sua identidade cultural e arquitetônica em torno de salas com capacidade para mais de mil espectadores, assistiram a transformação gradual de seus cinemas em lojas de departamentos, farmácias ou igrejas. A Cinelândia, região da cidade que deve este nome à quantidade de salas que um dia abrigou, conta hoje com apenas dois cinemas.

A migração dos cinemas da rua para o interior dos shopping centers vem sendo anunciada por grupos econômicos como garantia de conforto e segurança. Percebe-se que neste discurso está embutida não só uma ideia de elitização do hábito de ir ao cinema, mas também certo pensamento sobre a vida na cidade. Uma cidade ultra vigiada e dependente de automóveis (e estacionamentos…), onde as ruas deixam de ser espaço de permanência para se tornar mera passagem.

No momento em que o Rio de Janeiro prepara-se para sediar eventos internacionais que colocam em cheque a arquitetura e a memória da cidade, a controvérsia em torno do desaparecimento dos cinemas de rua pode ser uma oportunidade para se pensar sobre a cidade e as imagens que queremos, as formas de viver junto e partilhar a rua que desejamos.

Por meio de ações rituais que misturam práticas de reportagem, VJing e teatro de rua, este projeto propõe uma espécie de pajelança, exumando o espírito dos cinemas que ainda rondam os prédios. As ações são documentadas em vídeo e transmitidas ao vivo para a internet via streaming. Desta forma o projeto pretende discutir a circulação e distribuição de imagens na cidade, questionando formas de vivenciar o espaço público e o lugar ocupado pelo cinema como instituição cultural e afetiva.

Blog da primeira edição do projeto na Mostra do Filme Livre.

2 Responses to Cine-Fantasma: assombrações dos cinemas de rua

  1. CARECA ARTS says:

    é…me lembro que sempre estava na tijuca , cinelandia e copacabana vendo filmes em cinemas bem legais e hoje isso acabou… vale a pena puxar essas boas lembranças da memória ..tamu juntu…

  2. Pingback: Controvérsia: Cinema de rua? | lab

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s